Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/03/18 às 15h41 - Atualizado em 20/03/18 às 15h06

Comitiva de nigerianos visita unidades de assistência social em Sobradinho

COMPARTILHAR

Uma comitiva de 12 autoridades nigerianas conheceu, nesta quinta-feira (1º), um pouco do serviço de proteção social no Distrito Federal. Uma missão em que os membros do país africano vieram aprender com o Brasil algumas experiências no atendimento a pessoas em situação de risco e com violações de direitos.

 

O grupo visitou o complexo em Sobradinho que reúne o CRAS, CREAS e o Centro de Convivência. E ficaram bem impressionados. “O Brasil tem excelentes programas na área de proteção social.  Lá na Nigéria eles existem há 2 anos, mas não existem unidades como o CRAS e o CREAS. Gostamos muito do que vimos aqui”, destacou a ministra do Planejamento e Orçamento do país africano, Zainab Ahmed.

 

“Vamos levar várias ideias para nosso país, onde a área de desenvolvimento social não está bem estabelecida”, acrescentou o senador Laah Danjuma. Além deles, integrantes da ONG “Save the Children” também participaram da visita.

 

Servidores que atuam na proteção básica e especial, entre eles psicólogos e assistentes sociais, explicaram passo-a-passo como é feito todo o atendimento nos três órgãos. A assistência prestada a diversas famílias, jovens, gestantes, idosos e mulheres que sofrem diversos tipos de violência despertaram a atenção dos africanos.

 

Eles também fizeram um tour por todas as instalações do CRAS, CREAS e Cecon de Sobradinho. E ganharam a simpatia dos servidores da Sedestmidh, que respondiam no mesmo momento a dúvidas sobre o trabalho.  A missão de 5 dias dos nigerianos também envolveu reuniões no Ministério do Desenvolvimento Social e em outros órgãos federais.

 

“Outras comitivas já passaram por aqui, também de países africanos. E, para nós, é muito gratificante dividir a nossa experiência, todo nosso esforço no atendimento à população”, finalizou Flavio Teixeira, gerente do CRAS/Sobradinho.

Uma comitiva de 12 autoridades nigerianas conheceu, nesta quinta-feira (1º), um pouco do serviço de proteção social no Distrito Federal. Uma missão em que os membros do país africano vieram aprender com o Brasil algumas experiências no atendimento a pessoas em situação de risco e com violações de direitos.

 

O grupo visitou o complexo em Sobradinho que reúne o CRAS, CREAS e o Centro de Convivência. E ficaram bem impressionados. “O Brasil tem excelentes programas na área de proteção social.  Lá na Nigéria eles existem há 2 anos, mas não existem unidades como o CRAS e o CREAS. Gostamos muito do que vimos aqui”, destacou a ministra do Planejamento e Orçamento do país africano, Zainab Ahmed.

 

“Vamos levar várias ideias para nosso país, onde a área de desenvolvimento social não está bem estabelecida”, acrescentou o senador Laah Danjuma. Além deles, integrantes da ONG “Save the Children” também participaram da visita.

 

Servidores que atuam na proteção básica e especial, entre eles psicólogos e assistentes sociais, explicaram passo-a-passo como é feito todo o atendimento nos três órgãos. A assistência prestada a diversas famílias, jovens, gestantes, idosos e mulheres que sofrem diversos tipos de violência despertaram a atenção dos africanos.

 

Eles também fizeram um tour por todas as instalações do CRAS, CREAS e Cecon de Sobradinho. E ganharam a simpatia dos servidores da Sedestmidh, que respondiam no mesmo momento a dúvidas sobre o trabalho.  A missão de 5 dias dos nigerianos também envolveu reuniões no Ministério do Desenvolvimento Social e em outros órgãos federais.

 

“Outras comitivas já passaram por aqui, também de países africanos. E, para nós, é muito gratificante dividir a nossa experiência, todo nosso esforço no atendimento à população”, finalizou Flavio Teixeira, gerente do CRAS/Sobradinho.